sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Colecionadores da vida












Acredito que, o que realmente importa e fica, é o que mais deixamos passar desapercebido. A gente complica a simplicidade e vai sentir o perfume do momento depois que passou.

Sou colecionadora de miniaturas, elas se aconchegam melhor em minhas memórias. Falo de miniaturas de nós, do outro, do inesperado. Coisinhas pequenas que penduramos na parede do tempo e corremos pra elas quando "desaprendemos" de sorrir. Pequenos milagres que nos acontecem em um dia de grandes desafios. Abraço amigo, presente de tio, coleção de vinil bem guardada, colo de mãe, anjo com cara lambuzada de bala, lembranças fotografadas, bagunça de casa, coisinhas pequenas, de todos os dias, mas que fazem uma falta danada. Essas coisas são a cola que nos consertam quando estamos quebrados.

Em um mundo onde ser maior que o outro é a grande conquista, eu me alinhavo em pequenos gestos, nas miudezas que desenham meu sorriso. Quando começamos a guardar essas raridades pequeninas, redescobrimos a leveza perdida.






Renata Fagundes






3 comentários:

  1. Saudades dos seus textos que por tantas vezes eram "meus"... ;-)

    ResponderExcluir
  2. Que saudade eu tava, não suma mais..

    Beijos querida!

    ResponderExcluir

Quero espremer suas idéias

Deixe seu sumo

Bjo da Rê