terça-feira, 18 de outubro de 2011

(In)conclusões?








Ela sentia tanta culpa por não se sentir culpada de pensar daquela forma. Logo ela, tão ética, sensata, racional. Estava cansada de ponderação, de se enganar falando em proteger as pessoas quando na verdade estava se auto protegendo de discussões desnecessárias e que obviamente não levariam a lugar algum. Queria largar o emprego, mudar para o Alasca, ficar amiga dos pinguins. Será que exista pinguins no Alasca? Queria comprar aquele perfume carérrimo, estudar alemão, ficar uma semana dentro de um quarto com o homem da sua vida, invadir a festa alheia, invadir a privacidade alheia, invadir a mente alheia.

Precisava sair dos seus limites, dos seus muros. Queria se tornar uma sem teto, sem tantos escrúpulos, sem noção. O mundo era tão grande e seu quintal tão pequeno, era um parque de diversões perto de um jogo de dominó - detestava dominó. Era preciso expandir, alargar, ventilar, desbravar, desconsertar, despentear. Quanto tempo tudo certo, quanto tempo sem deslizes descobertos, quanto tempo se contendo, se escondendo, se medindo, avaliando, minimizando. A vida era curta demais para arrependimentos tardios. Precisava recuperar o brilho. Descobrir o segredo do sorriso de Monalisa. A arte de dizer coisas sem revelar o essencial. Precisava ser salva.



Parte do texto: Revelações Incompletas

De: Renata Fagundes







31 comentários:

  1. Muito lindo amiga.
    Deixo-lhe um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Re, vc como sempre me surpreendendo com suas palavras bordadas de verdade e intensidade!
    Que a arte de dizer coisas sem revelar o essencial nao se perca JAMAIS!
    Bjs amadamiga

    ResponderExcluir
  3. Não nascemos prontos, seguimos nos completando pelo caminho.

    Apenas o nada se concluí.

    Beijos menina crescente ;)

    ResponderExcluir
  4. Ah, esqeucei de dizer

    amooooooooooooooo ucê

    ResponderExcluir
  5. " a vida é curta demais para arrependimentos..."
    sempre maravilhoso Rê.
    Bjim***

    ResponderExcluir
  6. "A arte de dizer coisas sem revelar o essencial. " A foto se encaixa perfeitamente no texto. Como sempre, tudo lindo.

    Beijos de saudade (:

    ResponderExcluir
  7. Ah, parece que fui descrita Rê. Adorei! Beijão

    ResponderExcluir
  8. Preciso ser salva então! Amei seu texto. Beijos

    ResponderExcluir
  9. Viver a vida em sua total plenitude. Sem medos.

    Beijos, amora!

    ResponderExcluir
  10. Nossa, eu acho que sou o "ela' do seu texto tbm! Oo Assustador e encantador, querida.
    bjOus

    ResponderExcluir
  11. Rê eu me vi em cada letra.


    Vc é tão sensacional, beijo da matusquela!!!

    ResponderExcluir
  12. Olá simplesmente adorei seu blog...
    já sigo, se curte segue tbm:
    http://enredodeideias.blogspot.com/
    bj

    ResponderExcluir
  13. Renata Fagundes? Que escreveu "Nossos Retalhos?". Desculpe a minha indiscrição e distração por não tê-la procurado antes! Publiquei seu texto em meu blog FlorDeLuxo. Seu blog é perfeito! Simples e delicado! Vou dedicar-te minha visita periódica! Beijos. =)

    ResponderExcluir
  14. Huumm que lindo... já estava com saudades de dar um pulinho aqui no seu cantinho...
    Bjos floridos

    ResponderExcluir
  15. Olá.

    Um texto que fala da fome de viver e vivenciar.
    Vou procurar o texto pra ler... gostei.

    Boa noite e parabéns pela postagem.

    ;D

    ResponderExcluir
  16. Insisto em acreditar que a essência precede a existência.


    (...)parabéns pelos manuscritos.

    ResponderExcluir
  17. Olha eu aí nesse texto... rs... me descobriu não foi menina? kkkkkkkk
    ~Parabéns pelo texto, me encontro sempre aqui nas suas palavras.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. No dia do Poeta
    seu parabéns
    vem em dupla
    um para a poeta
    outro para musa!

    Te Amo!

    ResponderExcluir
  19. saudade de vir aqui e deixar um sumo rs.
    saudades dos seus textos
    beijosss querida =)

    ResponderExcluir
  20. E às vezes a salvação estivesse dentro dela mesma. Como nos perdemos atrás de sopros de vida né? Quando muitas vezes basta nos encontrar pra viver, porém, concordo que também muitas vezes é preciso se perder antes, pra encontrar quem e o que somos na verdade.

    Vou dizer de novo, que Minas conserve esse solo tão fértil de poetas e corações nobres. Amo tuas palavras!

    ResponderExcluir
  21. Sempre saio daqui com aquele gostinho de 'quero mais' rs.
    Sempre muito bom.

    http://haumapetala.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. E a gente vai recuperando o brilho todos os dias.

    E se o sol falasse ele diria que é lindo ver gente brilhando aqui na terra!

    Amo tuas palavras, minha amiga!


    Bom finzaço de semana, ta?

    Beijiinhos.

    ResponderExcluir
  23. Re, Re, Re!

    Dentro dos meus dias, tantos momentos com essa vontade... e essa culpa, e essa falta dela, e esse ciclo...
    Perfeito e saudade de vc!

    Bjo grandão
    Mi

    ResponderExcluir
  24. olá
    que cantinho encantador
    me sentir tão bem aqui
    que me perde em meio as
    suas palavras
    menina que talento
    te desejo uma linda semana
    beijokas

    ResponderExcluir
  25. Rê lindona

    Passando pra te desejar uma ótima semana, querida a vc e toda a sua familia linda.
    Vivemos lindona nos completando sempre.

    beijos no seu coração, meu carinho.

    ResponderExcluir
  26. Senti nos pés o pulsar da ilha
    Um farol avisa o longe do perto
    A lava encoberta na costa dormente
    Sete rumos e apenas um certo

    Neste Mar senti a vontade de prantear
    A nudez da noite no encontro do silêncio total
    Encobriu meu pranto das estrelas
    Uma zombeteira Lua marcou no dia o encontro final

    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  27. Seu textos poéticos sempre tão reflexivos!!!
    Adoro!...


    Beijos =)

    ResponderExcluir
  28. Gostei muito do blog e tô seguindo. Ao post, um comentário da Clarice Lispector: "A verdade última a gente nunca diz." Fica sempre o mistério.

    Se puder passa no meu e segue, escrevo:
    http://leilakruger.blogspot.com

    Uma ótima semana.

    Bjo!

    ResponderExcluir
  29. Você saber, de forma ímpar, nos (des) crever!

    Eu adoro aqui, Rê!

    Um beijo!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  30. É verdade amiga, as vezes os muros são tão grande e nosso quintal tão pequeno que precisamos sair um pouco dos nossos limites e 'delimites'. Em todos os aspéctos.



    adooooro vir aqui sempre beijocas

    ResponderExcluir
  31. Olá!
    Foi um grande prazer conhecer seu blog.Aproveito meu tempo para navegar e ler textos e poemas feitos por pessoas que gostam de escrever.
    Que bom que você é uma delas.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir

Quero espremer suas idéias

Deixe seu sumo

Bjo da Rê